Por não aplicar redução no preço do combustível, postos de Cruzeiro do Sul são investigados pelo MP

Promotor quer saber porque redução não chegou até os consumidores. MP pediu também as notas fiscais dos postos na cidade.

 

Após anúncio da Petrobras de reduzir preço do diesel em 6% e da gasolina 8%, o Ministério Público do Acre (MP-AC) instaurou um inquérito civil para apurar denúncias de que postos em Cruzeiro do Sul, no interior do estado, não estariam repassando os descontos aos consumidores.

A portaria foi publicada do Diário do MP nesta sexta-feira (24) e apura a possível existência de cartel, quando há combinação de preços, nos postos do município.

O promotor Iverson Bueno, em entrevista à Rede Amazônica, disse que está sendo expedida recomendação para todos os postos, tanto para que reduzam os preços, quanto para que justifiquem as razões pelas quais ainda não foi efetivada a redução.

“Houve queda mundial, as vendas baixaram, os preços baixaram e há, inclusive, informações de sobra de estoque de combustível em todo mundo, inclusive no Brasil”, informou.

O promotor disse que é importante o levantamento das informações e destaca que foram pedidas notas fiscais dos postos para tentar chegar a uma resposta.

“Se o problema é das distribuidoras, como alegam os donos de postos de combustíveis, nós temos que fazer esse cruzamento de dados. Fizemos solicitações das notas ficais, depois dessa operação, houve redução em postos de 12 centavos, o que é pouco ainda, já que em outros estados houve redução de 50 centavos e até R$ 1”, concluiu o promotor.

 

 

Compartilhe essa notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.