Distribuidoras aplicam golpe sob omissão da ANP

Era um golpe, como se suspeitava, a atitude das distribuidoras de combustíveis de romper contratos com produtores de etanol alegando “força maior”, com a omissão da Agência Nacional do Petróleo (ANP) que por sua vez proibiu as usinas de venderem o produto estocado a outras fontes, inclusive postos. Após cancelar os contratos, as espertas distribuidoras/atravessadoras passaram a importar etanol podre, poluente, à base de milho, dos Estados Unidos.

Ordem é poluir

O golpe das distribuidoras, que atuam como atravessadoras, inundou o Brasil, apenas em abril, com mais de 120 mil litros de etanol podre.

Ação predatória

Só no Nordeste, principal alvo da ação predatória das distribuidoras, foram destinados mais de 70 mil litros de etanol de má qualidade.

Dobradinha perversa

Atravessadores e ANP fazem “dobradinha” desde 2009, com o cartório que lhes dá exclusividade na venda aos postos de todo o combustível.

Prioridade de cada

A Petrobras anunciou patrocínio de R$10 milhões, em três vezes, a projetos de artes cênicas para crianças de até 6 anos. Só o contrato que o ex-presidente da estatal Pedro Parente fechou com a Fórmula 1 custaria 163 milhões de libras (R$1,1 bilhão). A atual gestão anulou.

 

Fonte: https://diariodopoder.com.br/coluna-claudio-humberto/uti-para-quem-precisa

 

 

Compartilhe essa notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.