Entressafra, dólar e ICMS encarecem etanol e gasolina

Valores médios chegaram, a respectivamente, R$ 2,926 e R$ 4,123.

 

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) confirmou o que os motoristas de Bauru já vinham percebendo. O preço do etanol e da gasolina voltaram a aumentar, chegando, na última semana, a valores médios de R$ 2,926 e R$ 4,123, respectivamente.

Dos dois combustíveis, o que teve maior aumento foi o álcool, que recebeu reajuste de 4,6% nas últimas quatro semanas. Entre 8 e 14 de novembro, o litro do produto era comercializado a uma média de R$ 2,797, ainda de acordo com a ANP. Já a gasolina, que custava R$ 4,03, recebeu acréscimo médio de 2,3%. No início desta semana, contudo, o etanol já era comercializado a R$ 2,99 e a gasolina, a R$ 4,29 em alguns estabelecimentos.

Presidente da Associação dos Revendedores de Combustíveis de Bauru e Região (Arcomb), Edivaldo Tuschi explica que a alta resulta de uma conjunção de fatores. O primeiro deles é a entressafra da cana-de-açúcar, que normalmente começa em novembro e segue até março, algo que sempre impacta no preço do etanol. “Há um estoque que precisa ficar disponível até a próxima safra e os preços, naturalmente, sobem. Quanto menor o volume armazenado, mais os preços se elevam”, pontua, salientando que, ao longo dos últimos anos, as lavouras de cana vêm perdendo produtividade.

“Há oito anos, se produzia 200 toneladas de cana por alqueire e cada tonelada resultava em 90 litros de etanol. Hoje, são 170 toneladas por alqueire e 75 litros por tonelada. A prática da monocultura faz com que a terra vá ficando ‘cansada'”, analisa.

Um segundo motivo é o fato de a gasolina ser indexada ao dólar e ao barril do petróleo, ambos com valores em patamar elevado. “Com isso, o etanol também sobe, até chegar a cerca de 70% do valor do litro da gasolina, sob a justificativa de ajuste dentro da lei de oferta e procura. E, assim como a gasolina, o diesel também ficou mais caro, impactando diretamente no custo de fabricação do etanol, já que o corte da cana é feito por meio de máquinas movidas a diesel”.

Ainda de acordo com Tuschi, outro fator é o reajuste aprovado pelo governo do Estado de São Paulo, de 12% para 13,3%, do ICMS incidente sobre o etanol. Apesar disso, em razão da tradicional guerra de preços existente em Bauru, os postos da cidade ainda cobram um dos menores valores sobre o litro do álcool.

De 38 municípios pesquisados pela ANP, os que tiveram menores médias de preço nas bombas na última semana foram Araçatuba, com R$ 2,920, o litro; Bauru, com R$ 2,926, e Marília, com R$ 2,929. Já na Capital, o valor sobe para R$ 3,012 e, em Caraguatatuba, para R$ 3,443.

Em posto de Bauru, valores nas bombas estavam acima da média ontem

 

Fonte: https://www.jcnet.com.br/https-//www-jcnet-com-br/noticias/economia/2020/12/743373-entressafra–dolar-e-icms-encarecem-etanol-e-gasolina.html

Compartilhe essa notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.