Calibrar pneu a R$ 1 revolta consumidor: “já gasta um dinheirão para abastecer”

Apesar da revolta, postos de combustíveis são livres para cobrar valor

Consumidores de Campo Grande se deparam, há algum tempo, com a cobrança de R$ 1 real para a calibragem de pneus em postos de combustíveis, prática que não é ilegal. A situação causou revolta no aposentado Marcus Vinícius Vargas de Andrade. “O consumidor já gasta um dinheirão pra abastecer e ainda tem que pagar pra calibrar”, afirma.

“Mas o detalhe é que o consumidor não tem moeda, o posto não acrescenta na conta 1,00, e não dá opções pra resolver a situação. Resultado: estamos abastecendo sem calibrar e pneu sem calibrar gasta mais combustível e desgasta mais”, continua, indignado com a forma que o preço é cobrado.

“Mas o detalhe é que o consumidor não tem moeda, o posto não acrescenta na conta 1,00, e não dá opções pra resolver a situação. Resultado: estamos abastecendo sem calibrar e pneu sem calibrar gasta mais combustível e desgasta mais”, continua, indignado com a forma que o preço é cobrado.

Além de sugerir a pauta à equipe do Campo Grande News, Marcus denunciou a cobrança ao Procon-MS (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor). A resposta que recebeu do órgão, no entanto, foi frustrante. Segundo a explicação, “é liberalidade do estabelecimento cobrar ou não o uso do calibrador, o estabelecimento deve afixar cartaz em local visível ao consumidor referente a cobrança”.

Segundo o diretor do Sinpetro-MS (Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis), Edson Lazarotto, os equipamentos utilizados para a calibragem e a manutenção são de alto custo, assim, alguns empresários optaram por comprar essa máquina que possibilita a cobrança da moeda de até R$ 1 real.

“Caso o cliente seja habitual, como em qualquer outro ramo, é óbvio que terá melhores condições de compra, agregando, por exemplo, um determinado serviço gratuito”.

Em um dos postos de combustíveis que ofertam o serviço com a cobrança do valor, a justificativa de funcionários, que preferem não se identificar é de que os equipamentos são alugados de empresas terceirizadas.

 

Fonte: https://www.campograndenews.com.br/direto-das-ruas/calibrar-pneu-a-r-1-revolta-consumidor-ja-gasta-um-dinheirao-para-abastecer

Compartilhe essa notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.