As 52 usinas brasileiras que produziram etanol de melaço em 2019 e 2020

Informações da ANP trazem dados do processamento do subproduto para produção do combustível, que ainda é tímida no país.

 

A cana-de-açúcar é um vegetal com diferentes possibilidades. É possível consumi-la logo após colhida, servindo como alimento e fonte de energia; esta energia também pode ser adquirida por meio do seu processamento, originando o açúcar e o etanol; o bagaço pode ser utilizado para queima, produzindo ainda mais energia, ou mesmo para uma nova produção do renovável, com a segunda geração; e o melaço, subproduto da produção do adoçante, também tem sua utilidade.

Após a moagem da cana, o caldo é destinado à produção do açúcar bruto que gera, como subproduto, o melaço. Por meio de etapas convencionais de fermentação, destilação e desidratação, este subproduto pode ser convertido em etanol, aumentando as possibilidades das usinas.

Uma das primeiras usinas a investir nesta diferenciação como estratégia para dominar as exportações de etanol para os Estados Unidos foi a Costa Pinto, da Raízen Energia, em 2014. O plano era enviar o renovável para a Califórnia, participando do programa do Conselho de Qualidade do Ar da Califórnia (Carb, na sigla em inglês).

De lá para cá, outras usinas intensificaram o processamento do melaço para produzir o biocombustível. Atualmente, conforme estimativa do novaCana de acordo com dados exclusivos da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e do Carb, 72 unidades produzem o renovável com o subproduto.

Conforme a ANP, entre janeiro de 2019 e abril de 2020, 52 usinas processaram o melaço para este fim. Foram 2,88 milhões de toneladas processadas no período, sendo 2,26 milhões em 2019 e 622,6 mil em 2020.

 

Fonte: https://www.novacana.com/n/etanol/mercado/52-usinas-brasileiras-produziram-etanol-melaco-2019-2020-150920

Compartilhe essa notícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *